Conecte-se

Dicas para trabalhar produto turístico são apresentadas em Diálogo

Espalhe esse conteúdo:

Facebook Twitter Google+
Terça, 03 de outubro de 2017.

Ag. CNMEstratégias de comercialização do produto turístico é o tema da palestra que abre os trabalhos do segundo dia do Diálogo Municipalista em Alagoas. Um conjunto de especialistas e técnicos está reunido para compartilhar com os gestores municipais orientações sobre a definição do produto turístico e, especialmente, a elaboração de ações efetivas em favor do desenvolvimento local.

O Município alagoano de Maragogi está localizado em uma região privilegiada. Ele faz parte da Costa dos Corais, que vai desde Maceió, capital de Alagoas, até a cidade de Tamandaré, em Pernambuco. A região abriga diversos corais que formam um verdadeiro paredão, barrando as ondas do mar e originando as famosas piscinas naturais.

Essa preciosidade foi citada no discurso do chefe da assessoria de projetos e parcerias da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Marco Lomanto. “Temos que entender e preservar a Costa dos Corais. Essa região, que engloba Maragogi, é uma das principais no segmento sol e praia. E também para o ecoturismo”. Para o especialista, a cidade é um “diamante bruto”, que precisa ser lapidado.

Como sugestão para trabalhar o produto turístico, Lomanto recomendou os prefeitos a investirem na mídia espontânea, aquela gerada sem a compra de espaços publicitários. Uma forma de se fazer isso, apontou o representante da Embratur, é convidar jornalistas e blogueiros para visitarem e conhecerem os principais atrativos da cidade.

A medida também foi defendida pelo secretário de estado do desenvolvimento econômico e turismo de Alagoas, Helder Lima. Ele comentou que vem atuando fortemente para estreitar o diálogo com os influenciadores digitais e ampliar a visibilidade do Estado.

Atuação em conjunto

Para encerrar sua fala, Lima alertou os participantes para a importância exercida pelo turismo no desenvolvimento da Costa dos Corais. “O Brasil ainda não acordou para o grande potencial econômico gerado pelo turismo movimenta diversas outras áreas”.

Em seguida, ele reforçou que a comercialização do produto turístico precisa ser feita em conjunto. “Devemos trabalhar em parceria. Trazer o turista para Maragogi não rouba o turismo de Tamandaré. Não é concorrência. Podemos trabalhar uma rota turística”, esclareceu.

Para complementar o debate, especialistas da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur) e outras organizações mostram como o turismo pode ser uma ferramenta de desenvolvimento econômico.